3 Photos: MENHIR / Anta dos Currais do Galhordas, Castelo de Vide, Portugal

This photos below are not original of Castelo de Vide blog, fount:
http://www.cm-castelo-vide.pt/pt/
 
MENHIR / Anta dos Currais do Galhordas, Castelo de Vide, PortugalMENHIR / Anta dos Currais do Galhordas, Castelo de Vide, Portugal
 
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
 
This photos below are not original of Castelo de Vide blog, fount:
https://www.trekearth.com
 
MENHIR / Anta dos Currais do Galhordas, Castelo de Vide, Portugal
 
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -




 
 
GOOGLE MAPS: OPEN MAP


Located on the western shore of the Póvoa and Meadas Dam, and close to a tributary of the Ribeira de Nisa, the Antas dos Currais do Galhordas is a small tomb structure dating back to the Neolithic or early Calcolithic. It is composed of a polygonal chamber defined by seven granite supports, one of which is missing, the rest being displaced from the original positions. The corridor would be narrow and short, although the poor state of conservation of the tapir makes it difficult to accurately identify the structures. The hat, or cover slab, presents an ellipsoidal shape and is conserved next to the monument, but is tumbled.Among the archaeological materials hitherto excavated are chipped stone blades and polished stone axes, ceramic fragments, and some fragments of engraved shale plates.Not being a particularly remarkable monument among the rich heritage of Castelo de Vide, this small tapir is nevertheless representative of the archaeological collection of the zone of influence of the Póvoa e Meadas Dam.
 
 
Situada na margem poente da Barragem de Póvoa e Meadas, e próxima de um afluente da Ribeira de Nisa, a Anta dos Currais do Galhordas é uma pequena estrutura tumular datável de finais do Neolítico ou inícios do Calcolítico. É composta por uma câmara poligonal definida por sete esteios em granito, dos quais falta um, estando os restantes deslocados das posições originais. O corredor seria estreito e curto, embora o mau estado de conservação da anta torne difícil fazer a identificação rigorosa das estruturas. O chapéu, ou laje de cobertura, apresenta uma forma elipsoidal e conserva-se junto do monumento, mas encontra-se tombado.

Entre os materiais arqueológicos até agora escavados destacam-se lâminas em pedra lascada e machados em pedra polida, fragmentos de cerâmica, e alguns fragmentos de placas de xisto gravadas.

Não sendo um monumento particularmente destacável entre o riquíssimo património de Castelo de Vide, esta pequena anta é no entanto representativa do acervo arqueológico da zona de influência da Barragem de Póvoa e Meadas.